Máquinas autônomas: utopia ou realidade?

Imagem: https://agfundernews.com/autonomous-tractor-corporation-aims-to-be-the-tesla-for-tractors.html

No ano passado uma tradicional empresa de máquinas agrícolas apresentou no Farm
Progress Show (USA) o que seria sua versão de trator autônomo, isto é, sem tratorista.
Muita gente desinformada reproduziu a matéria e as fotos, como se este “lançamento” fosse
a maior novidade do mundo. Virou uma verdadeira panaceia.

Só para que conste, outras empresas já tinham um trator autônomo pronto há mais
de 20 anos. Eu mesmo vi um protótipo em uma visita aos Estados Unidos no início dos anos
2000.

Então, em primeiro lugar o assunto não é novidade. Novidade é a ousadia de
apresentar uma proposta ao mercado que ninguém sabe quando será viável. Explico:
tecnicamente sem problemas, pois desde o aparecimento do uso de satélites para o
posicionamento de coisas e pessoas, é possível “dirigir” dispositivos (máquinas agrícolas,
caminhões, automóveis e barcos, entre outros) à distância ou automaticamente. O problema
maior é legal. Não há legislação nos países que poderiam usar esta tecnologia referente à
responsabilidade de tais autônomos. Se um trator estiver envolvido em um acidente, se
machucar alguém, quem é o responsável? Não há como processar a máquina… Seria o dono
o responsável? Ou o “operador” que está em seu escritório supervisionando o serviço em
seu computador? O fabricante talvez? Enquanto estas e outras questões não estiverem
respondidas e equacionadas não haverá autônomos nos campos.

Portanto nos é possível sonhar, e construir, toda e qualquer máquina agrícola
autônoma. No entanto por enquanto (e talvez por muito tempo) elas deverão ser assistidas
pela mão-de- obra humana. Quem imaginava reduzir sua mão-de- obra nas fazendas deve
esperar um pouco mais. Ou usar outras soluções disponíveis.
Voltaremos a falar sobre máquinas e agricultura do futuro.

Today, the college of charleston top-writer is home to just over 11,000 students.